Dom Roberto Francisco: Vinde Sopro do Deus vivente!

A solenidade de Pentecostes (50 dias da Páscoa) celebra a plena efusão do Espírito Santo e o seu derramamento sobre os Apóstolos e os povos reunidos por esta ocasião, em Jerusalém, a cidade mãe da humanidade.

Tem raízes no Antigo Testamento, pois se tratava de uma festa agrícola, mais tarde, com a reforma de Esdras e Nehemias, passou a dignificar a entrega do dom da Lei. O Espírito de Vida que pairou nas águas primordiais, tornando o caos em cosmos, ornando e edenizando com beleza inusitada a Criação, sustenta a integridade do planeta.

Vem para confirmar-nos na fé, impulsionando-nos para o testemunho corajoso e a missão de evangelizar a partir do Ressuscitado. Faz nascer a Igreja como católica, isto é, voltada para todos os povos e culturas, reconciliando a toda a humanidade em uma só família. O Espírito renova a face da Terra e restaura plenamente o Povo de Deus, em suas estruturas e relacionamentos, tornando-o mais justo, fraterno e solidário com os pobres. Neste ano nacional do Laicato é importante destacar, como fazia São Paulino de Nola, que Ele se derrama e inspira a todos os fiéis, colocando-os sempre a serviço da libertação e comunhão das pessoas, trazendo paz e reconciliação à história, superando a opressão, o ódio e a divisão. Sentimos muito a falta de sua sabedoria e audácia para falar às novas linguagens, impregnando-as do amor radical, e de responder com imaginação profética aos sinais dos tempos.

Ele nos faz desejar a santidade como seguimento integral e encarnado de Cristo na nossa realidade, uma santidade alegre, humorada e comprometida com os sofrimentos e angústias dos irmãos. Precisamos muito do Espírito no Brasil de hoje, para construir uma Nação inclusiva, próspera, cordial e pacífica, promovendo um desenvolvimento integral e sustentável para todos/as os brasileiros/as, protegendo a vida e a diversidade de todos os seres nesta querida terra da Santa Cruz.

Deus seja louvado!

 

Com informações da Diocese de Campos