Papa: seguir Jesus Bom Pastor, único guia seguro que dá sentido à vida

Hoje somos convidados a não deixar-nos levar pelas falsas sabedorias deste mundo, mas a seguir Jesus, Ressuscitado, como único guia seguro que dá sentido a nossa vida: foi a exortação do Papa no Regina Caeli ao meio-dia deste domingo (07/05), falando aos milhares de fiéis, peregrinos e turistas presentes na Praça São Pedro para a oração mariana com o Santo Padre.

Na alocução que precedeu o Regina Caeli o Papa Francisco ateve-se à página do Evangelho deste domingo – chamado “domingo do bom pastor”, – na qual Jesus nos apresenta duas imagens que se completam mutuamente. A imagem do pastor e a imagem da porta do aprisco.

Muitas pessoas aproximam-se do rebanho: há quem entra no aprisco passando pela porta e quem “entra passando por outro lugar”, frisou o Pontífice explicando: o primeiro é o pastor, o segundo um estranho, que não ama as ovelhas, quer entrar por outros interesses.

“Jesus identifica-se com o primeiro e manifesta uma relação de familiaridade com as ovelhas, expressa mediante a voz, com a qual as chama e que elas reconhecem e o seguem. Ele as chama para levá-las para fora, às pastagens verdejantes onde encontram bom alimento”.

A segunda imagem com a qual Jesus se apresenta é a da “porta das ovelhas”. Cristo, Bom Pastor, tornou-se a porta da salvação da humanidade porque ofereceu a vida por suas ovelhas.

“Jesus, pastor bom e porta das ovelhas, é um cabeça cuja autoridade se expressa no serviço, um cabeça que para comandar dá a vida e não pede a outros que a sacrifiquem. De um cabeça assim se pode confiar, como as ovelhas que ouvem a voz de seu pastor porque sabem que com ele se vai a pastagens boas e abundantes”, frisou Francisco.

“Basta um sinal, um chamado e elas o seguem, obedecem, encaminham-se guiadas pela voz daquele que sentem como presença amiga, forte e doce ao mesmo tempo, que encaminha, protege, consola e medica. Assim é Cristo para nós”, ressaltou o Papa fazendo uma pertinente observação:

Há uma dimensão da experiência cristã que talvez deixamos de certo modo à sombra: a dimensão espiritual e afetiva. O sentir-nos unidos por um vínculo especial ao Senhor como as ovelhas a seu pastor. Por vezes racionalizamos por demais a fé e corremos o risco de perder a percepção do timbre daquela voz, da voz de Jesus bom pastor, que estimula e fascina.”

É a maravilhosa experiência de sentir-nos amados por Jesus. Perguntem-se: "Eu me sinto amado por Jesus? Eu me sinto amada por Jesus?" Para Ele jamais somos estranhos, mas amigos e irmãos. No entanto, nem sempre é fácil distinguir a voz do pastor bom. “Há sempre o perigo do ladrão, do brigante e do falso pastor. Há sempre o risco de ser distraído pelo ribombar de tantas vozes”, afirmou ainda o Santo Padre.

Em seguida, o Papa lembrou o dia de oração pelas vocações sacerdotais e religiosas e os presbíteros por ele ordenados neste domingo do Bom Pastor:

“Neste Dia Mundial de Oração pelas Vocações – em particular pelas vocações sacerdotais, para que o Senhor nos mande bons pastores – invoquemos a Virgem Maria: ela acompanhe os dez novos sacerdotes que ordenei pouco antes. Pedi a quatro deles da Diocese de Roma que viessem para dar a bênção juntos comigo. Nossa Senhora sustente com seu auxílio aqueles que foram chamados por Jesus Cristo, a fim de que estejam prontos e generosos a seguir a sua voz.”

Antes de despedir-se dos presentes, na saudação após a oração mariana o Papa lembrou sua peregrinação a Fátima, Portugal, sexta-feira e sábado próximos (dias 12 e 13 de maio), por ocasião dos cem anos da primeira aparição de Nossa Senhora aos três pastorinhos na Cova da Iria:

Neste mês de maio rezemos o Terço em particular pela paz, como pediu a Virgem em Fátima, aonde irei em peregrinação daqui a poucos dias, por ocasião do centenário da primeira aparição.”